Programa Oportunidades y Desarrollo para Evitar Riesgos de Terapia Cognitivo-Comportamental e Tutoria em Matemática no México

← voltar para plataforma impacto

Programa Oportunidades y Desarrollo para Evitar Riesgos de Terapia Cognitivo-Comportamental e Tutoria em Matemática no México

Publicado em 02/01/2023
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Diminuir as taxas de evasão escolar durante o Ensino Médio.

Onde e quando foi implementado?

O Programa Oportunidades y Desarrollo para Evitar Riesgos (PODER) foi desenvolvido pela Secretaría de Educación Pública, pesquisadores de psicologia da Universidad Nacional Autónoma de México, e pelo Banco Mundial no primeiro semestre de 2016. O programa foi implementado no ano letivo mexicano de 2016-2017 em uma amostra representativa de 20 escolas públicas federais na Cidade do México, no contexto de um estudo experimentalOs estudos experimentais utilizam mecanismos aleatórios (isto é, sorteios) para definir quem será e quem não será contemplado por um determinado programa ou política pública, garantindo que as diferenças futuras entre estes grupos possam ser atribuídas com maior credibilidade à intervenção em si - e não a diferenças entre quem é e quem não é "tratado". de impacto envolvendo aproximadamente 5.000 alunos.

Como é o desenho?

O programa teve por foco alunos matriculados no 1º ano do ensino médio e considerados em alto risco de evasão escolar por um algoritmo que usava aprendizado de máquina. O processo de elaboração contou com o apoio da ONG Youth Guidance, responsável pela implementação do programa escolar Becoming a Man de terapia cognitivo-comportamental em Chicago. As atividades do programa foram implementadas pelos professores das escolas participantes e consistiram em:

  1. 20 sessões semanais, no contraturno escolar, com o objetivo de aumentar o engajamento dos jovens com a vida escolar e de estimular o desenvolvimento de estratégias para lidar com conflitos, embasadas por princípios e práticas de terapia cognitivo-comportamental;
  2. 10 sessões semanais de tutoria em Matemática, também no contraturno, focadas na apresentação contextual dos tópicos, levando em conta as características culturais e sociais dos alunos contemplados.

Para viabilizar a implementação do programa, os professores das escolas participantes receberam sessões de treinamento para ambas as atividades e um certificado de participação nessas sessões. As sessões de treinamento em práticas de terapia cognitivo comportamental duraram aproximadamente 30 horas. Já as sessões de treinamento em tutoria incluíram duas semanas de preparação online e 3 dias de treinamento presencial.

O que aprendemos com o monitoramento e a avaliação?

Foram documentadas, no artigo para discussão listado na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do monitoramento e do impacto causal do programa:

  • apenas 3 a cada 10 alunos frequentaram alguma sessão de terapia cognitivo-comportamental durante a implementação do programa [1];
  • as sessões de tutoria em Matemática foram muito pouco frequentadas: apenas 5 a cada 100 alunos frequentaram alguma sessão durante a implementação do programa [1];
  • 8 a cada 10 professores das escolas participantes revelaram acreditar que os conteúdos trabalhados nas sessões de terapia cognitivo-comportamental eram importantes e inovadores [1];
  • muitos diretores sugeriram, em grupos focais, que o programa fosse incorporado ao currículo escolar para que pudesse ser implementado fora do contraturno [1];
  • aumento de 17% de um desvio-padrãoO desvio padrão mede a dispersão de valores de uma variável - números mais altos indicam maior ocorrência de valores longe da média; valores mais baixos refletem maior concentração de valores próximos à média. Para distribuição normal, um aumento de 10% de um desvio-padrão equivale a um efeito proporcional de aproximadamente 4 percentis a partir do percentil 50. em um indicador de habilidades socioemocionais, ao final do período de implementação do programa, construído a partir de informação autorreportada sobre perserverança, autocontrole emocional e características do processo de tomada de decisão [1];
  • não foram encontrados efeitos estatisticamente significantesChamam-se de estatisticamente significantes as estimativas de impacto que são distinguíveis do valor zero, após incorporada à análise as incertezas associadas à generalização para outras amostras de indivíduos. em outro indicador de habilidades socioemocionais, também ao fina do período de implementação do programa, construído a partir de informação autorreportada sobre habilidades de gestão de estresse e capacidade de adaptação [1];
  • também não foram encontrados efeitos estatisticamente significantes na nota em um exame padronizado de Matemática, contendo questões que cobriam tópicos que deveriam ter sido aprendidos nos anos anteriores ao ensino médio, também ao final do período de implementação do programa [1].
  • também não foram encontrados efeitos na taxa de alunos que se matricularam no 2º ano do ensino médio no ano seguinte [1].

De onde vem essa informação?

  1. Avitabile, C., Cuevas, J., De Hoyos Navarro, R. E., & Jamison, J. C. (2019). Addressing High School Dropouts with a Scalable Intervention: The case of PODER. World Bank Policy Research Working Paper.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.