← voltar para plataforma impacto

Programa Graduation de Superação da Extrema Pobreza em Áreas Rurais de Honduras

Publicado em 31/03/2024 Atualizado em 30/04/2024
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Colocar famílias pobres de comunidades rurais em uma trajetória sustentável de superação da pobreza.

Onde e quando?

A iniciativa foi implementada pela Organización de Desarollo Empresarial Feminino Social (ODEF) e pela ONG PLAN International Honduras, em 2009, no departamento de Lempira, em Honduras, no contexto de um estudo experimentalOs estudos experimentais utilizam mecanismos aleatórios (isto é, sorteios) para definir quem será e quem não será contemplado por um determinado programa ou política pública, garantindo que as diferenças futuras entre estes grupos possam ser atribuídas com maior credibilidade à intervenção em si - e não a diferenças entre quem é e quem não é "tratado". envolvendo 2.403 famílias.

Como é o desenho?

O programa teve por foco famílias em situação de pobreza, que não fossem beneficiários de outra transferência de renda ou em espécie, e que fossem integradas por alguma criança entre 0 e 18 anos. Os seis componentes do programa foram:

  1. transferência em espécie, avaliada em 217 dólares, para suporte ao consumo na temporada de seca;
  2. transferência de ativos, à escolha do beneficiário, a partir de uma lista de ativos possíveis:
    • 8 a cada 10 famílias escolheram como ativo galinhas;
    • valor de 451 dólares em paridade de poder de compra.
  3. treino e apoio complementar no uso dos ativos, por 2 anos;
  4. visitas domiciliares semanais por profissionais das entidades implementadoras, por 2 anos, com o objetivo de acompanhar e encorajar as famílias, além de transmitir informações sobre educação financeira, com ênfase na atividade produtiva potencialmente derivada dos ativos;
  5. atividades de encorajamento à bancarização – por exemplo, pela abertura de contas no ODEF -, e à participação em grupos comunitários de poupança, e à celebração de contratos de micro-crédito;
  6. atividades pra transmissão de informação sobre temas relacionados à saúde, e conexão das famílias com serviços de atenção primária à saúde das localidades.

O que aprendemos com o monitoramento e avaliação?

Foram documentadas, nos documentos listados na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do monitoramento e do impacto causal do programa, aproximadamente 1 ano após o fim da implementação:

  • aumento de 23% de um desvio-padrãoO desvio-padrão mede a dispersão de valores de uma variável - valores mais altos indicam maior ocorrência de valores longe da média e valores mais baixos refletem maior concentração de valores próximos à média. Para a distribuição normal, ou para distribuições razoavelmente similares a uma normal, um aumento de 10% de um desvio-padrão equivale a um efeito de 4 percentis a partir do percentil 50 - isto é, a passar da posição 50 para a posição 54, em uma fila de 100.  em um indicador de volume de rendimentos da família, contendo informação sobre a parcela da renda oriunda da pecuária, agricultura, pequenos negócios, ou trabalho assalariado [1];
  • não foram encontrados efeitos estatisticamente significantesChamam-se de estatisticamente significantes as estimativas de impacto que são distinguíveis do valor zero, após incorporada à análise as incertezas associadas à generalização para outras amostras de indivíduos. em um indicador do tempo gasto em atividades geradoras de renda e em um indicador de inclusão financeira, contendo informação sobre mecanismos formais e informais de tomada de empréstimo, volume total poupado e a poupança no momento da coleta [1];
  • não foram encontradas evidências de efeitos no gasto per capita das famílias com consumo, embora tenha havido aumento de 8% nos gastos per capita com comida e de 8,8% de um desvio-padrão em um indicador de segurança alimentar [1];
  • aumento de 17% de um desvio-padrão em um indicador de saúde mental, resumindo informação sobre ausência de estresse emocional, satisfação com a vida e ausência de preocupações por períodos longos de tempo [1];
  • não foram encontradas evidências de que o programa tenha tido efeito em um indicador de saúde física, contendo informação sobre atividades saudáveis e percepção subjetiva do estado de saúde [1];
  • também não foram encontradas evidências de que o programa tenha tido efeito em um indicador de empoderamento feminino, contendo informação sobre a participação da mulher nos processos decisórios com respeito a gastos em educação, saúde, melhorias da casa e a outros assuntos financeiros da família [1].

Quais as fontes bibliográficas dessa informação?

  1. Banerjee, A., Duflo, E., Goldberg, N., Karlan, D., Osei, R., Parienté, W., Shapiro, J., Thuysbaert, B. & Udry, C. (2015). A Multifaceted Program Causes Lasting Progress for the Very Poor: Evidence from Six Countries. Online Appendix.
  2. Banerjee, A., Duflo, E., Goldberg, N., Karlan, D., Osei, R., Parienté, W., Shapiro, J., Thuysbaert, B. & Udry, C. (2015). A Multifaceted Program Causes Lasting Progress for the Very Poor: Evidence from Six Countries. Science348(6236), 1260799.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.