← voltar para plataforma impacto

Programa de Estímulo ao Engajamento entre Pais e Escola no Ensino Fundamental em Paris

Publicado em 25/10/2022
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Reduzir problemas disciplinares de jovens adolescentes, ajudando-os no período de transição do Ensino Fundamental I para o Ensino Fundamental II.

Onde e quando foi implementado?

A intervenção ocorreu em escolas localizadas em um distrito historicamente marcado por altos índices de vulnerabilidade social em Paris, França, chamado Créteil, durante o ano letivo de 2008 e 2009.

Como é o desenho?

O programa consistiu, essencialmente, em uma sequência de 3 encontros entre pais de alunos do 6° ano com os professores e diretores das escolas em que seus filhos estudavam. As reuniões ocorreram a cada 2-3 semanas, entre novembro e dezembro (ou início de janeiro, em alguns casos), que consistem no meio do ano letivo no local da implementação do programa. Os pais foram convidados a irem às reuniões, sem seus filhos, para aprender a gerenciar o sucesso da transição do Ensino Fundamental I para o Ensino Fundamental II, uma das etapas mais críticas da trajetória educacional das crianças francesas – em particular, aquelas em situação de vulnerabilidade social.

As sessões duraram cerca de 2 horas e, na maioria das vezes, eram conduzidas pelo diretor da escola. As duas sessões iniciais do programa se concentraram em como os pais podem ajudar seus filhos participando de sua vida escolar, tanto dentro de casa quanto se engajando com a escola. A última sessão ocorreu após o primeiro conselho de classe e boletim do final de semestre, e foram oferecidos conselhos aos pais sobre como se adaptar aos resultados do primeiro semestre. Durante essas reuniões, os seguintes tópicos receberam atenção particular: (i) Todos os pais podem ajudar seus filhos, independentemente do histórico escolar e do grau de familiaridade com a instituição: o que mais importa é que os filhos sintam que seus pais estão interessados ??em sua vida e experiência escolares e se sintam encorajados a conversar com frequência sobre isso; (ii) Para um bom desempenho, o trabalho em sala de aula não é suficiente: trabalhos de casa e exercícios regulares são extremamente importantes; (iii) Os pais devem monitorar regularmente as agendas e cadernos de tarefas de casa e, se possível, manterem-se perto das crianças enquanto elas repetem suas lições ou fazem exercícios; (iv) Para desenvolver as melhores atitudes, as crianças devem sentir que seus pais têm uma boa percepção e conhecimento da escola e que atendem às exigências dos professores e da administração.

Durante as reuniões, foi feito um esforço para que a apresentação dos tópicos acima por diretores ou professores fosse acompanhada de diretrizes relativamente precisas sobre formas de ação, elaboradas por especialistas inspirados em evidências da área de psicologia sobre as razões do envolvimento parental em educação e de que forma ele influencia a vida escolar [2]. Assim, por exemplo, os pais foram apresentados a trechos de um filme que apresentava os principais atores do ensino fundamental II e o que está em jogo nessa etapa da educação. Nestas sessões, também foram distribuídos documentos a nível local e distrital para explicar o funcionamento e as oportunidades existentes na escola frequentada pelas crianças.

De forma mais geral, os tópicos discutidos durante os encontros estimulavam os pais a pensar em formas pelas quais eles poderiam estimular o esforço despendido pelos alunos, demonstrando interesse, fornecendo atenção, tecendo elogios e imaginando recompensas relacionadas ao comportamento que leva ao sucesso na vida escolar. Vale ressaltar que este programa e todo o seu material foram desenvolvidos por especialistas educacionais em nível distrital de acordo com a literatura psicológica de última geração sobre envolvimento dos pais na educação.

O que aprendemos com o monitoramento e a avaliação?

Foram documentadas, no artigo listado na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do monitoramento e do impacto causal do programa em alunos e pais de alunos e alunas de 6º ano:

  • mais de 50% dos pais que se voluntariaram a participar do programa frequentaram pelo menos 1 sessão e cerca de 14% compareceram às 3 reuniões [1];
  • aumento de cerca de 40% de um desvio-padrãoO desvio padrão mede a dispersão de valores de uma variável - números mais altos indicam maior ocorrência de valores longe da média; valores mais baixos refletem maior concentração de valores próximos à média. Para distribuição normal, um aumento de 10% de um desvio-padrão equivale a um efeito proporcional de aproximadamente 4 percentis a partir do percentil 50. na em um indicador sobre o grau de envolvimento dos pais com a vida escolar, tanto dentro de casa quanto na escola, e sobre o seu conhecimento sobre o funcionamento da escola [1];
  • redução de 25% no absenteísmo escolar, o que representou um aumento de 3 a 4 meios-dias por trimestre do ano letivo em que o programa foi implementado [1];
  • redução de 42% nas taxa de alunos punidos por razões disciplinares e aumento de 22% nas chances de obterem melhores notas por sua conduta disciplinar, sugerindo que melhorar o envolvimento dos pais na educação de seus filhos é capaz de promover mudanças no comportamento dos mesmos com relação à vida escolar [1];
  • foram encontradas evidências de que o programa também teve efeito sobre filhos de pais que não demonstraram interesse em participar das reuniões – por exemplo, redução de 11% no absenteísmo escolar e de 21% na quantidade de sanções recebida -, o que sugere haver transbordamentoDiz-se que houve transbordamento dos efeitos de uma intervenção quando ela tem efeito sobre outros indivíduos que não foram diretamente contemplados ou afetados. dos efeitos do programa no funcionamento geral das salas de aula das escolas participantes [1];
  • aumento de cerca de 12% de um desvio-padrão nas notas de Língua Francesa dadas pelos professores aos alunos, de 8% na média de todas as disciplinas, embora não tenha sido encontrado efeito nas notas de Matemática [1];
  • não foram encontrados efeitos em notas em exames externos padronizados de Língua Francesa e Matemática realizados ao final do ano letivo [1];
  • como estes indicadores padronizados, que foram coletados externamente, tem um caráter mais objetivo do que as notas em provas escolares, as evidências descritas acima sugerem que os efeitos foram mais mediados pela percepção do esforço pelos professores, do que por níveis de aprendizado – no entanto, é importante considerar que as notas dadas pelos professores influeunciam as oportunidades disponíveis aos alunos, via, por exemplo, reprovação escolar, planos futuros para outras séries e, a médio prazo, a escolha de disciplinas opcionais [1].

De onde vem essa informação?

  1. Avvisati, F., Gurgand, M., Guyon, N., & Maurin, E. (2013). Getting Parents Involved: A Field Experiment in Deprived Schools. The Review of Economic Studies, 81(1), 57–83.
  2. Hoover-Dempsey, K., & Sandler, H. (1995). Parental Involvement in Children: Why Does it Make a Difference. Teachers College Record, 97(2), 310-331.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.