← voltar para plataforma impacto

Programa Urbano de Bienestar Para La Niñez en Extrema Pobreza na Nicarágua

Publicado em 15/03/2024 Atualizado em 21/03/2024
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Aumentar o acesso e a qualidade dos centros de educação infantil disponíveis para famílias nas camadas mais vulneráveis à pobreza da população.

Onde e quando?

O Programa Urbano de Bienestar Para La Niñez en Extrema Pobreza foi uma iniciativa do governo da Nicarágua implementada em 2014. Os resultados abaixo se referem a um estudo experimentalOs estudos experimentais utilizam mecanismos aleatórios (isto é, sorteios) para definir quem será e quem não será contemplado por um determinado programa ou política pública, garantindo que as diferenças futuras entre estes grupos possam ser atribuídas com maior credibilidade à intervenção em si - e não a diferenças entre quem é e quem não é "tratado". do processo de expansão do programa envolvendo 39 comunidades e aproximadamente 1.700 crianças.

Como é o desenho?

O programa teve por foco famílias em situação de pobreza nos 14 municípios com maiores taxas de pobreza de domicílios em áreas urbanas e financiou a construção de centros infantis comunitários (centros infantiles comunitarios, ou CICOs) para crianças de 0 a 4 anos.

Os CICOs abriam por meio período, 5 dias por semana, e adotavam diretrizes para as taxas de educadores por criança, exigindo um educador para cada 8 crianças de 0 a 2 anos ou para cada 18 crianças de 3 a 4 anos. Estes educadores eram professores pré-escolares ou assistentes de ensino, recrutados nas comunidades participantes.

O currículo aplicado foi desenvolvido por especialistas em desenvolvimento infantil e pedagogia e tinha uma estrutura escalonada, com atividades diárias e objetivos claros em termos de desenvolvimento socioemocional, cognitivo e linguístico, com ênfase no primeiro.

Além disso, os CICOS ofereciam uma refeição por dia, a todas as crianças de 0 a 4 anos, e operacionalizaram a suplementação por micronutrientes para crianças de 6 a 24 meses.

O que aprendemos com o monitoramento e avaliação?

Foram documentadas, no artigo listado na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do monitoramento e do impacto causal da expansão dos CICOs pelo Programa Urbano de Bienestar Para La Niñez en Extrema Pobreza:

  • quase 4 a cada 10 crianças foram levadas a frequentar os CICOS em razão da expansão, no horizonte de 2 anos após a sua construção [1];
  • aumento de 30% (ou 12 pontos percentuais) na taxa de mães que tinham um emprego, 2 anos após o início da implementação do programa, e não foram encontradas evidências de efeitos em indicadores de investimentos de tempo em atividades com suas filhas e filhos [1];
  • aumento de 38% a 50% de um desvio-padrãoO desvio-padrão mede a dispersão de valores de uma variável - valores mais altos indicam maior ocorrência de valores longe da média e valores mais baixos refletem maior concentração de valores próximos à média. Para a distribuição normal, ou para distribuições razoavelmente similares a uma normal, um aumento de 10% de um desvio-padrão equivale a um efeito de 4 percentis a partir do percentil 50 - isto é, a passar da posição 50 para a posição 54, em uma fila de 100. em um indicador de desenvolvimento socioemocional, 2 anos após o início da expansão, embora não tenham sido encontradas evidências de efeitos estatisticamente significantes em indicadores de desenvolvimento de linguagem [1].

Quais as fontes bibliográficas dessa informação?

  1. Hojman, A., & Boo, F. L. (2022). Public Childcare Benefits Children and Mothers: Evidence from a Nationwide Experiment in a Developing Country. Journal of Public Economics212, 104686.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.