← voltar para plataforma impacto

Escolas Charter no Estado Norte-Americano de Massachusetts

Publicado em 12/05/2022 Atualizado em 27/03/2024
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Criar um conjunto de insumos escolares que favoreça a aprendizagem efetiva de crianças em situação de pobreza e pertencentes a minorias sociais.

Onde e quando foi implementado?

As escolas charter se expandiram na cidade de Boston, Massachussetts, a partir de 1993, com a promulgação da Lei de Reforma da Educação de Massachusetts (Massachussetts Education Reform Act). As informações abaixo se referem ao grupo de escolas charter na região que tinham excesso de demanda por seus serviços educacionais e implementaram sorteios para decidir quais alunos efetivamente teriam a oportunidade de se matricular e frequentar a escola.

Como é o desenho?

As escolas charter operavam com mais independência para estruturar seu currículo e definir regras para o ambiente escolar no Ensino Fundamental I e II. Em particular, elas adotavam práticas como:

  1. Ano escolar mais longo e alto tempo diário dedicado à instrução durante a semana, quando comparado a outras escolas em funcionamento na mesma região.
  2. Substituição e recrutamento de novos professores de forma mais ágil, processo que é favorecido e acelerado pelo fato de que poucas escolas charter têm ligação com sindicatos de professores.
  3. Avaliações diagnósticas frequentes.
  4. Estímulo à cultura de expectativas altas de desempenho escolar, por meio de: (i) formação de objetivos específicos para o corpo discente, administrativo e para cada cada aluno e de incentivos aos alunos (como prêmios financeiros ou viagens); (ii) uma mentalidade centrada na ideia de que o sucesso (da e na escola) exige um trabalho árduo, resumida pelo mote “No Excuses“.

O que aprendemos com o monitoramento e a avaliação?

Foram documentadas, nos artigos listados na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do impacto causal das escolas charter da região entre 2001 e 2009:

  • aumento de 36 a 38% de um desvio-padrãoO desvio-padrão mede a dispersão de valores de uma variável - valores mais altos indicam maior ocorrência de valores longe da média e valores mais baixos refletem maior concentração de valores próximos à média. Para a distribuição normal, ou para distribuições razoavelmente similares a uma normal, um aumento de 10% de um desvio-padrão equivale a um efeito de 4 percentis a partir do percentil 50 - isto é, a passar da posição 50 para a posição 54, em uma fila de 100. nas notas em exames padronizados de Matemática aplicados durante o Ensino Fundamental II, para cada ano em que os alunos frequentaram escolas desse tipo nos anos anteriores [1];
  • aumento de 20% de um desvio padrão nas notas em exames padronizados de Língua Inglesa aplicados durante o Ensino Fundamental II, para cada ano em que os alunos frequentaram escolas desse tipo nos anos anteriores [1];
  • aumento de 35 a 37% de um desvio padrão na nota em um exame padronizado de Matemática aplicado durante o 1º ano do ensino médio, para cada ano em que os alunos frequentaram escolas desse tipo nos anos anteriores [1];
  • aumento de 16 a 18% de um desvio padrão na nota em um exame padronizado de Língua Inglesa aplicado durante o 1º ano do ensino médio, para cada ano em que os alunos frequentaram escolas desse tipo nos anos anteriores [1];
  • aumento de 19 a 35% de um desvio padrão na nota de um exame padronizado de Redação feita durante o 1º ano do ensino médio, para cada ano em que os alunos frequentaram escolas desse tipo nos anos anteriores [1];
  • há evidências de que o conjunto de práticas, cultura e mentalidade, resumidos pelo mote “No Excuses” (ver componente 4, descrito acima), é de fundamental importância na concretização dos resultados de escolas charter na região [1, 2].

De onde vem essa informação?

  1. Abdulkadiroglu, A., Angrist, J. D., Dynarski, S. M., Kane, T. J., & Pathak, P. A. (2011). Accountability and Flexibility in Public Schools: Evidence from Boston’s Charters and Pilots. The Quarterly Journal of Economics, 126(2), 699-748.
  2. Angrist, J. D., Pathak, P. A., & Walters, C. R. (2013). Explaining Charter School Effectiveness. American Economic Journal: Applied Economics, 5(4), 1-27.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.