← voltar para plataforma impacto

Incentivos Monetários para Alunos no Estudo Experimental Alineando Incentivos para el Aprendizaje no México

Publicado em 04/03/2024 Atualizado em 31/03/2024
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Promover melhorias no desempenho em Matemática dos alunos do Ensino Médio.

Onde e quando?

O programa foi implementado em escolas públicas de Ensino Médio do México no começo do ano letivo de 2008, no contexto de um estudo experimentalOs estudos experimentais utilizam mecanismos aleatórios (isto é, sorteios) para definir quem será e quem não será contemplado por um determinado programa ou política pública, garantindo que as diferenças futuras entre estes grupos possam ser atribuídas com maior credibilidade à intervenção em si - e não a diferenças entre quem é e quem não é "tratado". envolvendo aproximadamente 40 mil alunos em 88 escolas, chamado Alineando Incentivos para el Aprendizaje.

Como é o desenho?

O esquema de incentivos esteve em vigor por 3 anos e deu recompensas monetárias anuais a alunos do 1º ao 3º ano do Ensino Médio, de 400 a 1.500 pesos mexicanos (valores de 2015) com base na evolução positiva no desempenho em exames padronizados de Matemática, além de um pagamento equivalente a 1% das recompensas recebidas pelos seus colegas.

O que aprendemos com o monitoramento e avaliação?

Foram documentadas, nos artigos listado na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do impacto causal do programa:

  • aumento de 17% de um desvio-padrãoO desvio-padrão mede a dispersão de valores de uma variável - valores mais altos indicam maior ocorrência de valores longe da média e valores mais baixos refletem maior concentração de valores próximos à média. Para a distribuição normal, ou para distribuições razoavelmente similares a uma normal, um aumento de 10% de um desvio-padrão equivale a um efeito de 4 percentis a partir do percentil 50 - isto é, a passar da posição 50 para a posição 54, em uma fila de 100. na nota em um exame de Matemática e Língua Espanhola aplicado ao fim do 1º ano do Ensino Médio, no primeiro ano de implementação do programa [1];
  • aumento de 30% de um desvio-padrão na nota em um exame padronizado de Matemática e Língua Espanhola aplicado ao fim do 2º ano do Ensino Médio, no segundo ano de implementação do programa [1];
  • aumento de 23% de um desvio-padrão na nota em um exame padronizado de Matemática e Língua Espanhola aplicado ao fim do 3º ano do Ensino Médio, no terceiro ano de implementação do programa [1];
  • há evidências consistentes de um aumento geral no nível de esforço dos alunos e dos professores, como um aumento de 4% a 9% nas horas por semana de estudo dedicadas à Matemática para os alunos dos resultados acima [1].

Quais as fontes bibliográficas dessa informação?

  1. Behrman, J. R., Parker, S. W., Todd, P. E., & Wolpin, K. I. (2015). Aligning Learning Incentives of Students and Teachers: Results from a Social Experiment in Mexican High Schools. Journal of Political Economy, 123(2), 325-364.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.