← voltar para plataforma impacto

Programa Escolar de Estímulo à Perseverança e ao Planejamento Pessoal no Ensino Fundamental em Istambul

Publicado em 20/10/2022 Atualizado em 11/03/2024
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Aumentar a garra e a perseverança entre alunos, estimulando-os a ter uma visão otimista sobre o papel do esforço e da capacidade de planejamento do futuro para o desenvolvimento de novas habilidades escolares e em outras atividades na vida.

Onde e quando foi implementado?

O programaVocê pode encontrar documentos com mais informações sobre o programa no material complementar! foi implementado nos anos de 2013 e 2014 em um grupo de escolas públicas em Istambul, na Turquia.

Como é o desenho?

O programa, que se direcionou a professores e alunos de terceiro e quarto anos do Ensino Fundamental I, baseou-se em dois componentes principais, desenvolvidos por um time multidisciplinar.

Em primeiro lugar, foram realizados seminários para treinamento dos professores no tema, com foco em construir uma mentalidade voltada para o desenvolvimento, estimular a perseverança diante de fracassos e valorizar da capacidade de estabelecer e perseguir objetivos. O programa tentou não somente criar um currículo explícito para alunos e professores, mas também mudar a cultura dos professores com relação a uma série de conceitos subjacentes às práticas e aconselhamento em sala. Dessa forma, as oportunidades de mudar a mentalidade dos alunos são bem mais frequentes do que aquelas que surgem nas atividades extra-curriculares.

Em segundo lugar, o programa propôs atividades extra-curriculares por um período de 12 semanas, com duração de aproximadamente 2 horas semanais. Estas atividades consistiam em animações, estudos de caso e propostas de interações que enfatizavam:

  1. a plasticidade do cérebro, em oposição à visão de que habilidades são inatas, fixas e voltadas para conteúdos específicos, como Matemática ou desenho;
  2. o papel do esforço na construção de habilidades e na realização de objetivos pessoais;
  3. a importância de uma interpretação positiva de fracassos e do papel da perseverança como forma de lidar diante desses fracassos;
  4. a importância do planejamento e estabelecimento claro de objetivos.

Um exemplo de atividade do programa foi a apresentação de uma animação em que duas estudantes que têm visões diferentes sobre a maleabilidade de habilidades dialogam sobre o assunto. Uma das estudantes revela acreditar que não existe espaço para melhorar essas habilidades através do esforço e de que as experiências ruins de aprendizado são lembretes de que ela não é inteligente. A outra aluna responde que experiências ruins são inevitáveis para qualquer pessoa ao longo do caminho que leva ao sucesso. Ela diz que interpreta essas experiências como oportunidades de aprendizado que, então, não a desencorajam. Ao final da apresentação, foi proposta uma discussão em sala e lições de casa, com o objetivo de estimular as crianças a refletirem o tema. Outro exemplo de atividade coletiva foi o preparo de posters que continham frases famosas de indivíduos de sucesso sobre a importância da garra e da perseverança.

O que aprendemos com o monitoramento e a avaliação?

Foram documentadas, nos artigos publicados e no artigo para discussão listados na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do impacto causal do programa nos alunos matriculados nas escolas participantes:

  • aumento de 37% na taxa de alunos que escolhem tarefas numéricas difíceis com um prêmio alto ao invés de tarefas mais fáceis com um prêmio menor em um jogo dentro da sala de aula, sugerindo que o programa consegue fazer com que as crianças centralizem mais o papel do esforço em suas decisões [1];
  • aumento de 30% na taxa de alunos que perseveram nessas tarefas difíceis em um jogo idêntico na semana seguinte [1];
  • aumento de 19% de um desvio-padrãoO desvio padrão mede a dispersão de valores de uma variável - números mais altos indicam maior ocorrência de valores longe da média; valores mais baixos refletem maior concentração de valores próximos à média. Para distribuição normal, um aumento de 10% de um desvio-padrão equivale a um efeito proporcional de aproximadamente 4 percentis a partir do percentil 50. na nota de uma prova padronizada de Matemática, embora não tenha sido encontrado indício de aumento na nota em uma prova padronizada de Língua Turca [1];
  • equiparação das taxas de meninas e meninos que aceitam competir com um aluno do sexo oposto para ganhar mais brinquedos no jogo, sugerindo que o programa também tem efeito sobre disposição a engajar-se com tarefas que normalmente são estereotipadas como “para meninos” (como Matemática) [2];
  • redução de 30% em doações de brinquedos para um estudante fictício apresentado como alguém “preguiçoso”, sugerindo que a ideia de que qualquer pessoa pode ter êxito se trabalhar duro tem efeitos sobre a maneira como as crianças veem o merecimento de uma doação [3].

De onde vem essa informação?

  1. Alan, S., Boneva, T., & Ertac, S. (2019). Ever Failed, Try again, Succeed Better: Results from a Randomized Educational Intervention on Grit. The Quarterly Journal of Economics, 134(3), 1121-1162.
  2. Alan, S., & Ertac, S. (2018). Mitigating the Gender Gap in the Willingness to Compete: Evidence from a Randomized Field Experiment. Journal of the European Economic Association, 17(4), 1147-1185.
  3. Alan, S., Boneva, T., & Ertac, S. (2017). Belief in Hard Work and Altruism: Evidence from a Randomized Experiment. Human Capital and Economic Opportunity Working Paper Series.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.