← voltar para plataforma impacto

Programa Quantum Opportunity de Apoio Amplo ao Aluno de Ensino Médio nos Estados Unidos

Publicado em 25/10/2022
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Fornecer recursos e uma rede de apoio para reduzir comportamentos de risco, aumentar a taxa de graduação no ensino médio e a taxa de entrada no ensino superior entre jovens com defasagens de aprendizado.

Onde e quando foi implementado?

O programa Quantum Opportunity foi implementado a partir de 1995 em 11 escolas de 7 cidades dos Estados Unidos.

Como é o desenho?

O programa teve duração de 5 anos e foco em alunos do 9º ano com nota baixa na média escolar global (em todas as matérias). A maior parte dos seus componentes ocorreram no contraturno escolar e em um dia do fim de semana.

O primeiro componente do programa era de apoio e incentivos financeiros de curto e longo prazo. Cada aluno recebia 1,25 dólares americanos (valores de 2007) para cada hora explicitamente direcionada para as atividades do programa. Além disso, os alunos participantes estabeleceram um acordo com a equipe responsável pela implementação de que receberiam aproximadamente 1.000 dólares americanos se concluíssem o ensino médio e seguissem seu processo de capacitação no ensino superior ou em programas de ensino técnico e profissionalizante.

O segundo componente do programa era o de aconselhamento por meio de mentorias durante os 5 anos de implementação. Cada estudante foi conectado a um mentor, que era responsável por 15 a 20 alunos. O objetivo central da mentoria era de desenvolver uma conexão pessoal e duradoura com cada jovem. Portanto, os mentores foram instruídos a manter um relacionamento estável com o jovem, incluindo se o jovem se desvinculasse do programa, abandonasse a escola, fosse preso ou mudasse seu local de moradia. De maneira mais geral, estes mentores também cumpriam o papel de gerenciar serviços de apoio que pudessem contemplar barreiras pessoais, familiares e sociais que poderiam interferir na capacidade do aluno de ter uma vida escolar de mais sucesso.

O terceiro componente do programa consistiu em 750 horas de atividades extracurriculares por ano. O primeiro grupo de atividades teve o intuito de melhor estruturar a vida escolar dos alunos contemplados. Assim, foram construídos planos individualizados de aprendizado e progresso escolar, tutorias e sessões de treino em conteúdos específicos usando softwares de aprendizagem de Matemática e Língua Inglesa (leitura). O segundo grupo de atividades teve o intuito de desenvolver habilidades socioemocionais, preparando para a transição escola-trabalho.

O que aprendemos com o monitoramento e a avaliação?

Foram documentadas, no artigo listado na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito monitoramento e do impacto causal do programa Quantum Opportunity:

  • não foram encontrados efeitos estatisticamente significantesChamam-se de estatisticamente significantes as estimativas de impacto que são distinguíveis do valor zero, após incorporada à análise as incertezas associadas à generalização para outras amostras de indivíduos. em notas em provas de Língua Inglesa e Matemática no último ano do ensino médio [1];
  • aumento de 10 a 12% (ou de 4,2 a 5,3 pontos percentuais) na taxa de alunos que vieram a se graduar do ensino médio, embora o resultado seja imprecisamente estimadoDiz-se que um resultado estatístico é imprecisamente estimado quando ele também é consistente com valores muito próximos ou muito distantes de um valor de referência (por exemplo, 0), após incorporada à análise as incertezas associadas à generalização para outras amostras de indivíduos de uma população. [1];
  • aumento de 16 a 21% (ou de 4,3 a 5,5 pontos percentuais) na taxa de alunos que vieram a se matricular e frequentar instituições de ensino superior, ao final do ensino médio [1];
  • não foram encontradas evidências de efeitos estatisticamente significantes sobre a taxa de jovens que vieram a obter um diploma universitário (de faculdades de 4 anos), embora tenha havido aumento de 23 a 24% (ou de 6,8 a 7 pontos percentuais) na taxa dos que completaram até 2 anos de estudo em alguma instituição de ensino superior, quando tinham quase 30 anos de idade [2];
  • também não foram encontradas evidências de que, no longo prazo, o programa tenha tido efeito positivo sobre variáveis associadas à performance no mercado de trabalho, como emprego e salários [2].

De onde vem essa informação?

  1. Rodriguez-Planas, N. (2012). Longer-term Impacts of Mentoring, Educational Services, and Learning Incentives: Evidence from a Randomized Trial in the United States. American Economic Journal: Applied Economics, 4(4), 121-39.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.