← voltar para plataforma impacto

Expansão do Programa Food Stamps nos Estados Unidos nas Décadas de 1960 e 1970

Publicado em 20/10/2022 Atualizado em 16/04/2024
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Aumentar a quantidade e o valor nutricional de alimentos consumidos por famílias pobres e suas crianças, contribuindo para a redução da pobreza infantil.

Onde e quando foi implementado?

O programa Food Stamps foi criado em 1961 nos Estados Unidos e escalado para todo o território nacional entre 1964 e 1975, após um piloto em 1962 e 1963.¹ Os resultados abaixo se referem a estudos observacionais que usam dados de famílias e, em particular, crianças afetadas pela expansão inicial do programa nas décadas de 1960 e 1970.

Como é o desenho?

O programa distribuiu cupons que poderiam ser trocados por alimentos em lojas credenciadas, com foco em famílias em situação de pobreza (abaixo de 130% da linha de pobreza nacional). O valor dos cupons era calculado com base nos recursos em posse do domicílio para a compra de comida e a diferença entre esses recursos e o que seria necessário para comprar uma quantidade suficiente de alimentos, variando com o tamanho da família.

O que aprendemos com o monitoramento e a avaliação?

Foram documentadas, no artigo publicado e no artigo para discussão listados na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do impacto causal do programa Food Stamps, entre 1968 e 1978, nos domicílios contemplados:

  • aumento de 19 a 21% no gasto total com alimentos [1, 2];

Além disso, foram documentadas, também em artigo para discussão listado na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do impacto causal do programa sobre crianças que foram contempladas por ele, do momento da sua concepção até os 5 anos de idade:

  • aumento de 1% (ou aproximadamente 1 ponto percentualO efeito de um programa em termos percentuais (%) é diferente do efeito do programa em pontos percentuais. Por exemplo, se uma variável binária tem média de 10%, um efeito de 5 pontos percentuais representa aumento de 50%.) na taxa de crianças que vieram a completar o ensino médio ou obtiveram um certificado de conclusão por meio de prova posterior ao período de saída da escola [2, 3];
  • aumento de 6% (ou 4 pontos percentuais) na taxa de crianças que vieram a se matricular em universidades, embora não tenha sido encontrado efeito estatisticamente significanteChamam-se de estatisticamente significantes as estimativas de impacto que são distinguíveis do valor zero, após incorporada à análise as incertezas associadas à generalização para outras amostras de indivíduos. na taxa de crianças que vieram a receber um diploma universitário [2, 3];
  • aumento de 7% na renda auferida no mercado de trabalho quando estas crianças tinham atingido a vida adulta [2, 3];
  • redução de 21% (ou 2 pontos percentuais) na taxa de crianças que eram pobres quando tinham atingido a vida adulta [2, 3];
  • redução de aproximadamente 32% (ou 0,5 pontos percentuais) na taxa de crianças que, quando adultas, tinham sido presas por algum tipo de crime [2, 3].

De onde vem essa informação?

  1. Hoynes, H. W., & Schanzenbach, D. W. (2009). Consumption Responses to In-Kind transfers: Evidence from the Introduction of the Food Stamp Program. American Economic Journal: Applied Economics, 1(4), 109-39.
  2. Bailey, M. J., Hoynes, H. W., Rossin-Slater, M., & Walker, R. (2020). Is the Social Safety Net a Long-Term Investment? Large-scale Evidence from the Food Stamps Program. National Bureau of Economic Research Working Paper.
  3. Bailey, M. J., Hoynes, H. W., Rossin-Slater, M., & Walker, R. (2019). Presentation of Is the Social Safety Net a Long-Term Investment? Large-scale Evidence from the Food Stamps Program. University of California, Berkeley, acesso em 16/04/2022.

Vídeos

 

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.