Prêmio Evidência



Primeira edição do Prêmio Evidência e Troféu Imds recebe 55 inscrições

Em sua primeira edição, com inscrições encerradas em 31 de outubro de 2021, o Prêmio Evidência e o Troféu Imds Mobilidade Social receberam 55 inscrições no período válido, enviadas por órgãos das esferas federal, estadual e municipal da administração pública. Foram 53 propostas habilitadas para a etapa de avaliação.

A premiação busca reconhecer e divulgar políticas públicas que fazem uso de evidências em suas várias etapas, transformando de maneira eficiente a vida de milhões de pessoas em todo o Brasil. Fruto de uma parceria entre o Instituto Mobilidade e Desenvolvimento Social (Imds), o Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados para a África Lusófona e o Brasil (FGV EESP Clear) e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap), a iniciativa reforça o valor da interação entre a pesquisa científica e a gestão de políticas públicas.

Serão agraciadas com o Prêmio Evidência até três políticas públicas, em território nacional, que se destaquem pelo uso de evidências cientificamente fundamentadas, já finalizadas nos últimos 24 meses ou em andamento, tendo como base a data de publicação do Edital, disponível no site Imds.

O Troféu Imds Mobilidade Social deverá ser entregue à política ou ao programa cujo objetivo seja o aumento da mobilidade social e a redução da desigualdade de oportunidades, com especial atenção para o uso de ferramentas e tecnologias sociais que tenham potencial para transformar de maneira permanente a vida dos beneficiários.

Os resultados das fases pode ser acompanhado por todos e a premiação está programada para março de 2022. Veja o cronograma:

Encerramento das inscrições 31 de outubro de 2021 Finalizada
Resultado da Etapa de Habilitação O resultado Será publicado em até 15 dias após o término do prazo de inscrições. Finalizada
Etapa de Avaliação Após a divulgação das propostas aprovadas na Etapa de Habilitação, acontece a etapa de avaliação entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022 Em Andamento
Exame de Finalistas As dez iniciativas melhor avaliados na Etapa de Avaliação serão convidadas para entrevistas e para prestar informações adicionais, processo que ocorrerá entre janeiro e fevereiro de 2022.
Divulgação das iniciativas vencedoras As três iniciativas vencedoras do Prêmio Evidência e aquela agraciada com o Troféu IMDS - Mobilidade Social serão divulgadas até fevereiro de 2022.
Premiação O Prêmio Evidência e o Troféu IMDS - Mobilidade Social serão entregues em cerimônia programada para março de 2022

Comissão de Avaliação reúne especialistas na área de monitoramento e avaliação de políticas públicas

Para realizar o julgamento da Etapa de Avaliação e do Exame de Finalistas, foi composta uma Comissão de Avaliação que reúne especialistas em políticas públicas e em avaliação de políticas e programas. Conheça o perfil dos membros da Comissão abaixo.

Jessica Gagete-Miranda

Possui graduação e mestrado em economia pela Universidade de São Paulo e é PhD em políticas públicas pela Bocconi University. Durante o PhD, foi aluna visitante da Duke University e trabalhou no Banco Interamericano de Desenvolvimento. Atualmente, Jessica é pesquisadora na University of Milano-Bicocca.

Juliana Camargo

Pesquisadora do FGV EESP Clear e do C-Micro – Centro em Microeconomia Aplicada. Possui doutorado em Economia pela FGV EESP, mestrado e graduação em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Possui experiência na área de avaliação de impacto de políticas públicas e programas sociais com foco em educação, primeira infância, habilidades socioemocionais, desigualdade, desenvolvimento local e pobreza.

Laura Muller Machado

Mestre em economia aplicada pela Universidade de São Paulo. Coordena a Rede Ciência pelo Desenho de política pública educacional, a cátedra do Instituto Ayrton Senna no Insper e o Núcleo Ciência pela Gestão educacional no Insper. É professora e coautora de pesquisas no Insper e atua na disseminação da evidência científica de política social para gestores públicos das esferas federal, estadual e municipal.

Luiz Claudio Campos

Bacharel em direito pela USP, mestre e doutor em Administração Pública pela EAESP-FGV e membro da carreira de especialista em políticas públicas do governo federal desde 2010. Tem longa experiência na formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas e programas estratégicos em diferentes áreas, como agricultura familiar, saúde e direitos humanos. Recentemente desenvolveu um Programa de Treinamento Modular em ciclos de políticas públicas no âmbito da Década das Nações Unidas para a Agricultura Familiar - UNDFF.

Manuel Thedim

Bacharel em Economia. Experiência na área de Economia, com ênfase em Economia e Desenvolvimento Regional, Economia do Estado do Rio de Janeiro, Economia brasileira e Mercado de Trabalho. Coordenação de pesquisas na área de fomento ao desenvolvimento econômico, mercado de trabalho e gestão pública. Foi Subsecretário Municipal do Trabalho de 1997 a 2000.

Marilia Firmiano

Mestre e doutoranda em Economia pela Universidade Federal do Ceará. Foi coordenadora do Centro de Análise de Dados e Avaliação de Políticas Públicas do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (CAPP/IPECE) de 2018 a 2020, atualmente ocupa o cargo de Diretora de Estudos de Gestão Pública do IPECE, além de ser Alumni de Gestão Pública da Vetor Brasil e Professora na Pós-Graduação da Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (AESP).

Perguntas e Respostas



O FGV EESP Clear, a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e o Instituto Modalidade e Desenvolvimento Social (Imds), instituições organizadoras do Prêmio Evidência e do Troféu Imds de Mobilidade Social, apresentaram, no dia 13 de agosto de 2021, um encontro online e aberto ao público para tirar dúvidas sobre o edital, o processo de inscrição e outros detalhes da premiação.


O Prêmio Evidência é uma premiação de iniciativa do Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados para o Brasil e a África Lusófona (FGV EESP Clear), do Instituto Mobilidade e Desenvolvimento Social (IMDS) e da Escola Nacional de Administração Pública (Enap) para reconhecer e promover a interação entre ciência e política pública. As três instituições entendem que é preciso dar visibilidade, fortalecer e apoiar programas governamentais fundamentados em pesquisas com sólidas evidências e boas práticas nacionais e internacionais e, para isso, decidiram criar o Prêmio Evidência, que irá premiar até 03 (três) políticas públicas em território nacional que se destaquem pelo uso de evidências cientificamente fundamentadas em suas múltiplas etapas.

O Troféu IMDS é uma iniciativa do IMDS para valorizar políticas que promovam o aumento da mobilidade social e a redução da desigualdade de oportunidades mediante o uso de informações sistematizadas e a aplicação do conhecimento científico em seu desenho e execução.

O Prêmio Evidência poderá agraciar qualquer política pública que faça uso de evidências científicas e siga as boas práticas de aplicação de evidências em políticas públicas ao longo de todo seu ciclo. O Troféu IMDS irá contemplar um programa que, além de seguir os mesmos critérios do Prêmio, ainda seja destinado a resolver problemas de vulnerabilidade social, e que tenha impacto esperado de médio prazo, buscando a promoção da mobilidade intrageracional e intergeracional. Deve, ainda, preferencialmente contemplar os temas elencados no item f) da seção 2, Anexo 2, do Edital.

Entre os programas inscritos no Prêmio Evidências, aqueles que tiverem sido aprovados na etapa de Avaliação podem concorrer ao Troféu IMDS. Caberá ao Comitê de Avaliação selecionar um subconjunto dos aprovados para concorrer ao Troféu IMDS. Os critérios que se referem à aplicação de evidências na política são os mesmos, mas têm pesos diferentes, visto que há requisitos de impacto esperado e temáticas particulares ao Troféu. As informações detalhadas dos critérios qualificadores para concorrer ao Troféu podem ser lidas no Anexo 2 do Edital.

Você pode obter mais informações em: https://eventos.fgv.br/premioevidencia Em especial, você pode ler o edital completo para sanar quaisquer dúvidas em: https://eventos.fgv.br/premioevidencia/edital-completo

Até às 23 horas e 59 minutos do dia 31 de outubro de 2021, horário de Brasília.

Uma pessoa deve ser responsável pela submissão da proposta e posterior contato com a organização do Prêmio. Caso a política pública ou o programa envolva um conjunto de agentes, a inscrição também deverá ser feita por apenas uma pessoa responsável, que irá representar o consórcio executor do programa. Em todos os casos, o reconhecimento será concedido ao programa ou política, mediante uma única premiação.

O Prêmio e o Troféu irão premiar os programas ou as políticas públicas vencedoras. No entanto, a premiação, em nome da política, será entregue a um representante indicado, em cerimônia programada para março de 2022.

Poderão concorrer ao Prêmio Evidência órgãos e entidades da Administração Pública direta e indireta, das três esferas de governo, responsáveis por programas governamentais em andamento ou finalizados nos 24 (vinte e quatro) meses anteriores à data de publicação deste Edital. A política pública deverá ser inscrita por apenas um proponente. Se houver mais de uma inscrição para uma mesma política, originada de proponentes distintos, será considerado apenas o primeiro formulário recebido, desconsiderando-se os demais.

Para realizar a inscrição no Prêmio Evidência, é preciso, para além de informações de cadastro, como dados de contato e CPF da pessoa responsável, informações sobre a instituição executora do programa e também informações detalhadas sobre o programa em si. Em particular, será preciso preencher seis seções:

  1. Uma descrição sucinta do programa, detalhando (i) objetivos da política; (ii) atividades, bens e serviços que compõem a política; (iii) público alvo da política; (iv) local de implementação da política;
  2. Uma descrição do modelo de gestão do programa, detalhando (i) todos os atores envolvidos na implementação, incluindo atores não governamentais; (ii) as responsabilidades e as competências desses diferentes atores ao longo do processo de formulação e execução do programa;
  3. Uma caracterização do problema que o programa tenta solucionar;
  4. Uma discussão sobre o programa em si, com um detalhamento de seu modelo lógico, do critério de focalização dos beneficiários, o plano de implementação, os impactos esperados e uma análise de custo/custo-benefício ex-ante;
  5. Uma discussão sobre as estratégias de monitoramento e avaliação, com destaque para o sistema de monitoramento e também as iniciativas de avaliação (ex ante ou ex post) do programa;
  6. Uma discussão sobre o uso de evidências geradas pela política para embasar as tomadas de decisão.
Mais detalhes sobre cada uma dessas seções podem ser encontradas no Anexo 1 do Edital.

Após o envio do formulário de inscrições por meio da plataforma disponível no site do Prêmio, não mais será possível efetuar modificações nas informações fornecidas. Será possível, entretanto, apresentar recurso de revisão da lista dos programas habilitados. Os meios para realizar tal recurso serão divulgados na página do Prêmio e o prazo que os proponentes terão será de 05 (cinco) dias úteis a contar da divulgação da lista de propostas habilitadas.

Caberá ao Comitê de Avaliação definir os ganhadores tanto do Prêmio quanto do Troféu, seguindo os critérios indicados no item 9 do Edital. O Comitê é composto por representantes das instituições parceiras e convidados externos às instituições parceiras, especialistas com atuação nas áreas temáticas do Edital.

A iniciativa vencedora do Prêmio Evidência e aquela agraciada com o Troféu IMDS – Mobilidade Social serão divulgadas até fevereiro de 2022.

Não, somente pessoas responsáveis pelos programas podem realizar inscrição. Nesse caso, sugerimos que envie as informações do prêmio para o órgão responsável inscrevê-lo.

Evidências científicas – advindas da literatura acadêmica ou de outros tipos de estudos que utilizam metodologia científica – podem e devem ser utilizados ao longo de todo o formulário de inscrição. Essas evidências podem ser quantitativas ou qualitativas. Também é importante, em especial na última seção, “Uso das evidências geradas pela política pública”, citar as evidências produzidas no próprio processo de formulação, implementação, monitoramento e avaliação da política concorrente, inclusive as que ensejaram tomadas de decisão da mesma. Essas evidências incluem, por exemplo, produtos do sistema de monitoramento, resultados de avaliações, informações coletadas com beneficiários, entre outras.

Nesta seção gostaríamos que fossem exploradas as evidências geradas via ferramentas de monitoramento e avaliação utilizadas para a gestão da política inscrita. Poderia ser citado, por exemplo, os usos do sistema de monitoramento ou dos resultados de avaliações – de processo, de impacto, de resultados – para alimentar as tomadas de decisão da política. Entretanto, caso sua política ainda não possua evidências dessa natureza, é possível, nessa seção, discutir como evidências já existentes – trabalhos acadêmicos, da análise de dados secundários ou de outras políticas – são utilizados na gestão. Ainda, pode ser discutido como se planeja incorporar as evidências a serem geradas na política inscrita ao longo de seu ciclo.

BAIXE O EDITAL
Topo