← voltar para plataforma impacto

Reforma da Merenda Escolar na Suécia

Publicado em 20/10/2022 Atualizado em 09/04/2024
Compartilhe:

Qual o objetivo?

Aumentar a qualidade nutricional dos alimentos ingeridos por crianças em idade escolar e retirar dos domicílios o peso financeiro do preparo das refeições.

Onde e quando foi implementado?

A reforma foi implementada gradualmente pelos municípios da Suécia, a partir de meados da década de 1940.

Como é o desenho?

Em 1946, foram instituídos subsídios para municípios que introduzissem merendas gratuitas, e foram dadas diretrizes em termos da qualidade nutricional esperada. Em ação paralela, o conselho responsável pelas escolas da educação básica no país coletou indicadores municipais sobre a organização, infra-estrutura e custos de provisão das merendas.¹ Nos anos subsequentes foram realizadas, também, visitas in loco para auxiliar na organização logística e transmitir informação sobre componentes nutritivos que poderiam ser comprados nos próprios municípios. Por fim, foram organizados programas de capacitação para os funcionários envolvidos no preparo das merendas escolares.

O que aprendemos com o monitoramento e a avaliação?

Foram documentadas, no artigo listado na seção abaixo, as seguintes evidências a respeito do impacto causal da reforma sobre os alunos de um grupo de 265 municípios que a instituíram entre 1959 e 1969:

  • aumento de 0,3% no número de anos totais de estudo alcançados e de 0,6% na taxa de matrícula no ensino superior, para cada ano de exposição às merendas de maior valor nutritivo [1];
  • aumento de 0,4% na renda total auferida, também para cada ano de exposição à reforma – e tal aumento foi maior no grupo de alunos mais pobres [1];
  • aumento de 0,7% em um indicador da qualidade do estado de saúde, entre homens avaliados no período de alistamento militar, ainda para cada ano de exposição à reforma [1];
  • não foram encontradas evidências de efeitos estatisticamente significantesChamam-se de estatisticamente significantes as estimativas de impacto que são distinguíveis do valor zero, após incorporada à análise as incertezas associadas à generalização para outras amostras de indivíduos. sobre indicadores de saúde medidos em um horizonte temporal mais longo, como mortalidade e morbidade dos próprios indivíduos contemplados pela reforma entre os 40 e 60 anos de idade [1];
  • também não foram encontradas evidências de efeitos estatisticamente significantes sobre indicadores de saúde dos filhos das crianças expostas à reforma, como peso ao nascer, ou prematuridade [1].
  1. Os indicadores de diagnóstico permitiram saber, por exemplo, que no período, aproximadamente dois terços dos alunos almoçavam sanduíches (pão e queijo) e leite na escola.

De onde vem essa informação?

  1. Lundborg, P., Rooth, D., & Alex-Petersen, J. (2022) Long-Term Effects of Childhood Nutrition: Evidence from a School Lunch Reform. Review of Economic Studies, 89(2), 876-908.

Estamos trabalhando para que as páginas contemplem toda a evidência documentada sobre o tema e estejam sempre atualizadas. Se você quiser sugerir algum artigo, entre em contato.